A arte de escrever para idiotas,Marcia Tiburi e Rubens Casara

Para aqueles que não lerão este artigo.

 

Em nossa cultura intelectual e jornalística surge uma nova forma de retórica.Trata-se da arte de escrever para idiotas que,entre nós,tem feito muito sucesso.Pensávamos ter atingido o fundo do poço em termos de produção de idiotices para idiotas,mas proliferam subformas,bubgêneros e subautores que sugerem a criação de uma nova ciência.

 

Estamos fazendo piada,mas quando se trata de pensar na forma assumida atualmente pela “voz da razão” temos que parar de rir e começar a pensar.

 

Artigos ruins e reacionários fazem parte de jornais e revistas desde sempre,mas a arte de escrever para idiotas vem se especializando ao longo do tempo e seus artistas passam da posição de retóricos de baixa categoria para príncipes dos meios de comunicação de massa.Atualmente,idiotas de direita tem mais espaço do que idiotas de esquerda na grande mídia.Mas isso não afeta em nada a forma com que se pode escrever para idiotas.

 

Diga-se,antes de mais nada,que o termo idiota aqui empregado guarda algo de seu velho uso psiquiátrico.Etimologicamente,”idiota” tem relação com aquele que vive fechado em si mesmo.

Na psiquiatria,a idiotia era uma patologia gravíssima e que,em termos sociais,podemos dizer que continua sendo.

 

Uma tipologia psicossocial entra em jogo na história,baseada em dois tipos ideais de idiotas:o

idiota de raiz,dentre os quais se destaca a subcategoria do idiota representante do conhecimento paranoico,e o neo-idiota,com destaque para o “idiota” mercenário que lucra com a arte de escrever para idiotas.

 

 

Vejamos quem são:

 

1 – O Idiota de raiz é fruto de um determinismo:ele não pode deixar de ser idiota.Seja em razão da tradição em que está inserido ou de um déficit cognitivo,trata-se de um idiota autêntico.

 

O Idiota de raiz divide-se em três subtipos:

 

1.1 – Ignorante orgulhoso:não se abre à experiência do conhecimento.Repete clichês introduzidos no cotidiano pelos meios de informação que ele conhece,a televisão e os jornais de grande circulação,em que a informação é controlada.Sua formação é “midiatizada”,mas ele não sabe disso e se orgulha do que lhe permitem conhecer.No limite,o ignorante orgulhoso diz “sou fascista”,sem conhecer a experiência do fascismo clássico da década de 30 e o significado atual da palavra,assim como é capaz de defender sem razoabilidade algumas ideias sobre as quais ele nada sabe.Um exemplo muito atual:apesar da violência não ter diminuído nos países que reduziram a maioridade penal,a ignorância da qual orgulha-se o idiota,o faz defender essa medida como solução para os variados problemas sociais.Ele se aproxima do “burro mesmo” enquanto imita o representante do conhecimento paranoico,apresentados a seguir.

 

1.2 – “Burro mesmo”:não há muito o que dizer.Mesmo com informação por todos os lados,ele não consegue juntar os pontinhos.Por exemplos:o “burro mesmo” faz uma manifestação “democrática” para defender a volta da ditadura.Para bom entendedor,meia palavra…

 

1.3 – Representante do conhecimento paranoico:tendo estudado ou sendo autodidata,o representante do conhecimento paranoico pode ser,sob certo aspecto,genial.Freud comparava,em sua forma,a paranoia a uma espécie de sistema filosófico.O paranoico tem certezas,a falta de dúvida é o que o torna idiota.Se duvidasse,ele poderia ser um filósofo.O conhecimento paranoico cria monstros que ele mesmo acredita combater a partir de suas certezas.O comunismo,o feminismo,a política de cotas ou qualquer política que possa produzir um deslocamento de sentido e colocar em dúvida suas certezas,ocupa o lugar de monstro para alguns paranoicos midiaticamente importantes.

 

Curioso é que o representante do conhecimento paranoico pode parecer alguém inteligente,mas seu afeto paranoico o impede de experimentar outras formas de ver o mundo,abortando a potência de inteligência,que nele é,a todo momento,mortificada.Isso o aproxima do “ignorante orgulhoso” e do “burro mesmo”.

 

Em termos vulgares e compreensíveis por todos:ele é a brochada da inteligência.

 

2 – O neo-idiota😮 neo-idiota poderia ser um idiota,mas sua escolha,sua adesão à tendência dominante,o coloca nesse lugar.Não se pode esquecer que,além de cognitiva,a inteligência é uma categoria moral.O neo-idiota não é apenas um idiota,mas também um canalha em potencial.

 

Há dois subtipos de neo-idiota:

 

2.1 – O “idiota” mercenário quer ganhar dinheiro.Ele serve aos interesses dominantes,mas é um idiota como outro qualquer,porque não ganha tanto dinheiro assim quando vende a alma.

 

Nessa categoria,prevalece o mercenário sobre o idiota.Por isso,podemos falar de idiota entre aspas.Ganha dinheiro falando idiotices para os idiotas que o lerão.Seu leitor padrão divide-se entre o “burro mesmo” e o “idiota cool”.Ele escreve aquilo que faz o “burro mesmo” pensar que é inteligente.O idiota cool,por sua vez,se sente legitimado pelo que lê.O que revela a responsabilidade do idiota mercenário no crescimento do pensamento autoritário na sociedade brasileira.Apresentar Homer Simpson ou qualquer outro exemplo de “burro mesmo” como modelo ideal de telespectador ou leitor é pragmático nesse contexto.

 

2.2 – O “idiota cool” lê o que escreve o idiota mercenário.Repete suas ideias na esperança de ser aceito socialmente.De ter um destaque como sujeito de ideias (prontas).Ele gosta de exibir sua leitura do jornal ou do blog e usa as ideias do articulista(do representante do conhecimento paranoico ou do idiota mercenário)para tornar-se cool.Ele segue a tendência dominante.Ao contrário do “burro mesmo”,nele sobressai o esforço para estar na moda.Como,diferentemente dos seus ídolos,ele não escreve em jornais ou blogs famosos,ele transforma o Facebook e outras redes sociais no seu palco.

 

Diante disso,temos os textos produzidos a partir da altamente falaciosa arte de escrever para idiotas.O sucesso que alcançam tais textos se deve a um conjunto de regras básicas.Identificamos dez,mas a capacidade para escrever idiotices tem se revelado enganosa e não deve ser menosprezada:

 

1 – Tratar como idiota todo mundo que não concorda com as idiotices defendidas.O texto é construído a partir do narcisismo infantil do articulista.O autor sobressai no texto,em detrimento do argumento.Assim ele reafirma sua própria imagem desqualificando a diferença e a inteligência para vender-se como inteligente.

 

2 – Não deixar jamais que seu leitor se sinta um idiota.Sustentar idiotices com as quais o leitor(o burro mesmo,o ignorante orgulhoso e o idiota cool)se identifique,o que faz com que o mesmo se sinta inteligente.

 

3 – Aborda de forma sensacionalista qualquer tema.Qualquer assunto,seja socialmente relevante ou não,acaba sendo tratado de maneira espetacularizada.

 

4 – Transformar temas desimportantes em instrumentos de ataque e desqualificação da diferença.Por exemplo,a “depilação feminina” já foi um assunto apresentado de modo enervante,excitante,demonizante e estigmatizante.Nesse caso,o preconceito de gênero escondeu a falta de assunto do articulista.

 

5 – Distorcer fatos históricos adequando-os às hipóteses do escritor.Em uma espécie de perversão inquisitorial,o acontecimento acaba substituído pela versão distorcida que atende à intenção do autor do texto para idiotas.

 

6 – Atacar alguém.Este é um dos aspectos mais importantes da arte de escrever para idiotas.A limitação argumentativa esconde-se em ataques pessoais.Cria-se um inimigo a ser combatido.O inimigo é o mais variado,mas sempre alguém que representa,na fantasia do escritor,o ideal contrário ao dos seus leitores(os idiotas:o burro mesmo,o ignorante orgulhoso e o idiota cool).

 

7 – Reduzir tudo a uma visão maniqueísta.Toda complexidade desaparece nos textos escritos para idiotas.O mundo é apresentado como uma luta entre o bem e o mal,o certo e o errado,o comunismo e o capitalismo ou Deus e o Diabo.

 

8 – Desconsiderar distinções conceituais.Nos textos escritos para idiotas,conservadores são apresentados como liberais,comunistas são confundidos com anarquistas,etc.

 

9 – Investir em clichês e ideias fixas.Clichês são pensamentos prontos e de fácil acesso.Sem o esforço de reflexão crítica,os clichês dão a sensação imediata de inteligência.Da mesmo maneira,o recurso às ideias fixas é uma estratégia para garantir a atenção do leitor idiota(o burro mesmo,o ignorante orgulhoso e o idiota cool)e reforçar as “certezas” em torno das hipóteses do escritor(nesse particular,Goebbels,o chefe da propaganda de Hitler,foi bem entendido).

 

10 – Escrever mal.A pobreza vernacular e as limitações gramaticais são essências na ate de escrever para idiotas.O leitor idiota não pode ser surpreendido,pois pode ser ofendido com algo mais inteligente do que ele.Ele deve ser capaz de entender o texto ao ler algo que ele mesmo pensa ou que pode compreender.Deve ser adulado pela idiotice que já conhece ou que o escritor quer que ele conheça.

 

(Para além do que foi identificado acima,fica a questão para quem deseja escrever para idiotas:como atingir a pobreza essencial na forma e no conteúdo que concerne a essa arte?)

 

A arte de escrever para idiotas constitui parte importante da retórica atual do poder:Saber é poder,falar/escrever é poder,e o idiota que fala é ouvido,que escreve e é lido,tem poder.O empobrecimento do debate público se deve a essas “cabeças de papelão”,fato que é identificado tanto por pensadores conservadores quanto por progressistas.

O grande desafio,portanto,maior do que o confronto reducionista entre direita e esquerda,desenvolvimentistas e ecologistas,governistas e oposicionistas,entre machistas e feministas,parece ser o que envolve os que pensam e os que não pensam.Sem pensamento não há diálogo possível,nem emancipação em nível algum.

 

Se não houver limites para a idiotice,ao contrário da esperança que levou a escrever esse texto,resta isolar-se e estocar alimentos.

 

Da Revista Cult,A arte de escrever para idiotas,por Marcia Tiburi e Rubens Casara.

 

 

 


 

 

 

Texto extraído do site:

 

http://jornalggn.com.br/noticia/a-arte-de-escrever-para-idiotas-por-marcia-tiburi-e-rubens-casara

 

 

 


 

 

 

 

idiot

 

 

 


 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s