O Preço do Silêncio

Foi com grande satisfação que,em reunião fraterna no plano espiritual,revi meu amigo José,de quem me afastara havia algumas encarnações.

Juntos,tínhamos vivido em tempos passados,e eu me lembrava com certo constrangimento de certas passagens levianas que havíamos cometido.

Na verdade,eu me sentia mudado e,um pouco mais experiente,tentei afastar os pensamentos desagradáveis.José,companheiro leviano e irresponsável,apesar de bom e generoso amigo,tinha o defeito de falar demais.Quando em palestra com alguém,esquecia a noção do equilíbrio e comentava assuntos íntimos,envolvendo reputações,boatos,e acrescentava,no auge do entusiasmo,novas nuances para colorir o assunto,sem perceber,resvalando para a calúnia.Muitas vezes causara intrigas e dissensões,separações e litígios entre as criaturas.

Fazia-o mais por leviandade do que pelo desejo de causar dano.Geralmente arrependia-se depois,mas o mal já estava feito.

Abracei-o efusivamente,pois o apreciava,e intimamente procurei armazenar argumentos a fim de neutralizar-lhe o verbo intempestivo.

José abraçou-me alegre,e depois de algumas palavras juntamo-nos ao resto do grupo em agradável palestra.

Entretanto,grande surpresa me estava reservada.Durante nossas amigas confabulações,José apenas pronunciou algumas palavras sérias,pausadas e,eu diria,com alguma dificuldade.Pareceu-me completamente diferente da pessoa que havia conhecido antes.Estava mais equilibrado e mais feliz.Em seu olhar havia entendimento e doçura.

Satisfeito constatei seu progresso espiritual.Quando juntos nos retiramos da assembleia,José,colocando sua mão em meu braço,tornou:

– Estou satisfeito de vê-lo bem-disposto.E sei que também nota que estou diferente.

– Tem razão,José.Está muito melhor agora – e acrescentei,receoso de recordar os erros do seu passado:- Na verdade todos nós temos progredido.É a Lei!

– Assim é.Entretanto,toda conquista tem um preço que é preciso pagar.E pagamos com antecedência.É preciso dar para receber.

– Mas noto que tem dificuldade em se expressar.Você que era versátil e prolixo!

– Sabe que muitos males causei com a língua a serviço da irresponsabilidade.Esse defeito representava para mim sério motivo de preocupação.Vivia atormentado,enredado pelas dimensões e intrigas que articulava,perseguido pelas consequências dessas atitudes e sentindo-me impotente para dominá-las.A cada existência,quando voltava para cá,sentia o remorso aumentar,vendo a lista de resgates crescer consideravelmente,dificultando meu progresso espiritual.Em outros campos eu havia feito muitos progressos,mas,quando chegava a essa fraqueza,nada conseguia.Resolvi,por isso,submeter meu caso às entidades superiores encarregadas da nossa orientação,que carinhosamente se dispuseram a estudar minhas possibilidades.chegaram um dia a uma solução,e apresentei-me para conhecê-la.Depois de ouvir e assistir,um pouco envergonhado,ao estudo retrospectivo de meus reflexos condicionados e das minhas atitudes passadas,meu mentor espiritual considerou:

– Acabamos de estudar o seu caso.Chegou a tal ponto de reação motora que sua vontade é quase inócua para evitar o deslize.Por isso,torna-se preciso paralisar o veículo do erro,para aprender de novo e equilibradamente a manter seu controle.Aconselhamos uma reencarnação em que, por diversas circunstâncias,venha a perder a língua.O que será fácil conseguir,porque,como pode ver,ela já está danificada e envolvida pelas vibrações negativas com que a brindou.Como está resolvido a lutar para melhorar,conseguimos,com auxílio da prece,esta dádiva do Senhor.Os detalhes serão estudados com os irmãos reencarnacionistas.

– Confesso que senti grande abalo.Entretanto,quanto mais pensava no caso,mais compreendia que tinham razão.Renasci na frança,filho de fidalgos.Contudo,esquisita moléstia paralisava-me a língua,impedindo-me de falar como as outras crianças.

A princípio,lutei com todas as minhas forças para fugir à doença,que me fazia sofrer horrivelmente.Porém,aos poucos,fui me habituando a ela.Tive paralisia completa.Não conseguia emitir nenhum som.Na aspereza da provação,porém,sentia-me feliz,parecendo-me que alguma força interior me sustentava.As tentações eram maiores porque as pessoas,sabendo-me impossibilitado de falar,não se importavam de tratar dos assuntos graves na minha presença.Fui testemunha,assim,de intrigas e mentiras,ódios e perversidades,luxúria e egoísmo,que regurgitavam nos salões da corte.Mas assim fui aprendendo a conhecer a beleza e a força do silêncio,e muitas vezes,presenciando o desenrolar dos fatos,agradecia a Deus não ter podido falar sobre o assunto.Comecei a notar o perigo das palavras e sua consequências.Cheguei ao fim da existência mais equilibrado e sereno.Porém,uma só experiência não foi o suficiente.Reencarnei de novo ainda com paralisia parcial da língua.Submetido a longo e doloroso tratamento para falar,recuperei o uso do órgão enfermo,mas,com o auxílio do Alto,permaneceu um resquício da atrofia,e eu sofria terrível gagueira.Não podia conversar livremente,pois gaguejava desagradavelmente.E,mesmo com vontade de falar,sentia vergonha,notando o mal-estar que provocava naqueles com quem conversava.Por fim,voltei nesta última encarnação com o órgão normal,porém,conservando a experiência passada,já não sentia vontade de falar.Fui envolvido e tentado por todos aqueles que colecionam os defeitos alheios e os exibem.Com a graça de Deus,consegui vencer – e continuou,sorrindo:- Há muitos anos que não falo tanto como hoje!Estou exausto!

 

tumblrintelectofrase-escuta-e-seras-sabio-o-comeco-da-sabedoria-e-o-silencio-pitagoras-111526

 

 

Eu conjecturava na perfeição da Lei e respondi:

– Na verdade,alcançou o progresso desejado,mas a que preço! – terminei,um pouco chocado com o seu sofrimento.

– Ora,ora,meu amigo!Quantos acidentes seriam evitados se cada um pudesse comandar plenamente seus veículos na vida?E,se não conseguem detê-lo e ele se torna perigoso,é lógico que deve ser recolhido à oficina para conserto.Hoje,verificando o benefício do calar no momento oportuno,acho irrisório ter dado apenas uma língua para pagar o preço do silêncio!

E eu fiquei silencioso,penetrando fundo na beleza da lição.

 

  **********************Marcos Vinícius

[_Texto extraído do Livro:”Voltas que a Vida Dá”,de Zíbia Gasparetto/por Espíritos Diversos]     

tumblrintelectoescute-o-silencio                       

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s